A técnica de upcycling (reutilização, em inglês) dá vida nova a roupas e acessórios, evitando o descarte e economizando matéria prima e o impacto de novas produções

Segundo dados da plataforma online Autossustentável (autossustentavel.com/), estima-se que, anualmente, cerca de 80 bilhões de peças de vestuário sejam jogadas fora. Ao passo que, de acordo com dados do Grupo PET de Engenharia Sanitária e Ambiental da Universidade Federal da Bahia (petesa.eng.ufba.br/), a geração dos resíduos têxteis representa 175 mil toneladas por ano.

Esses números colocam na berlinda dois agentes centrais em qualquer cadeia produtiva: o fabricante e o consumidor final. Por um lado, temos uma produção desenfreada que excede a demanda – por isso acaba sendo descartada –; por outro, velhos hábitos de consumo ainda enxergam o reutilizável como lixo.

Ressignificação e vida nova a peças paradas (da esq. para a dir.): top linho Burano amarelo e marinho; saia midi modal Bogliasco preta

Só que muita gente ainda não entendeu que manufaturados que ficam parados ou são descartados não desaparecem. Na moda, as grandes indústrias poluem muito para produzir e depois ainda descartam o que sobra a cada nova coleção.

Upcycling

É nesse contexto que a técnica de upcycling (reutilização, em inglês) atinge status de prática essencial para um posicionamento mais sustentável na moda. A ação de transformar peças descartadas ou deixadas à margem respondem a um dos desafios mais urgentes: repensar a produção e reduzir o consumo. E o upcycling – processo que renova produtos descartados ou parados –, é uma saída inteligente que agrega valor e sentido.

Leia mais sobre a técnica aqui.

A prática reduz a quantidade de resíduos produzidos que passariam anos em aterros sanitários. Além disso, ela diminui a necessidade de exploração de matéria prima para a geração de novos produtos.

Na pegada do upcycling (da esq. para a dir.): saia midi modal Bogliasco off white; e top cropped modal Montepulciano preto e off white

E uma dica boa para quem quer se familiarizar com o upcycling em casa mesmo: bordados e aplicações compradas prontas (em lojas especializadas) podem ser até mesmo colados às roupas (se o seu forte não for a costura).

Intervenções maiores já envolvem corte e costura da peça, para que se crie algo totalmente novo. Então, que tal investigar as possibilidades junto àquela costureira incrível perto da sua casa? Dessa parceria podem surgir novas ideias para bolsas, echarpes, blusas, saias… Você ganha um item exclusivo, colabora com a proteção ambiental e ainda incentiva uma indústria de moda mais sustentável.

Collab MyBasic & Comas

Collab Comas Upcycling (da esq. para a dir.): vestido linho Procida terracota, rose e off white

Foi no upcycling que a MyBasic encontrou uma forma de ressignificar peças com baixa saída. Para isso, convidamos Agustina Comas, especialista na técnica e fundadora da marca Comas, para ser parceira nossa num projeto de renovação de peças de coleções passadas que estavam armazenadas em nosso estoque, transformando-as e dando um novo significado a produtos e matérias primas excedentes. São elas que ilustram essa matéria.

Confira também a aba da Collab MyBasic & Comas em nossa loja

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *