Lançamentos de Verão ZERO poliéster virgem


Estamos felizes em compartilhar que todos os tecidos selecionados para o lançamento dos nossos produtos de verão (que estão incríveis por sinal!) NÃO CONTÉM POLIÉSTER virgem em sua composição.

Sabe por que isso é tão importante pra gente e pra você?
Vamos entender o que é o poliéster e porque ele é tão utilizado pela indústria da moda:

O poliéster é uma fibra termoplástica, oriunda da nafta do petróleo bruto ou gás natural. É muito utilizada na confecção de tecidos [mais da metade das roupas que vemos disponíveis para compra hoje em dia, são feitas desse material].

Ele costuma ser bastante utilizado no setor têxtil como uma forma de “baratear”, pois o custo de produção de cada produto comercializado.

Um tecido de poliéster virgem é, na maioria das vezes, MUITO mais acessível do que um tecido produzido com fibras de menor impacto.

Como as de origem natural (algodão, linho ou seda, por exemplo) ou artificial (como aquelas provenientes da celulose e que dependem de um algum processo químico – como é o caso da viscose ou modal, sabe?!).

Por isso, essa relação faz com que encontremos mais itens feitos em material sintético do que os que se relacionam de forma mais responsável com a gente e com o planeta.

E por que isso não é algo positivo?


– O material utilizado na confecção do vestuário, costuma estar associado a diversos impactos, por exemplo:

alterações do clima, efeitos adversos sobre os recursos hídricos e seus ciclos, poluição química, perda da biodiversidade, uso demasiado de recursos não renováveis. Diversas outras questões que impactam diretamente a nossa vida no planeta;

Assim, roupas que levam poliéster em suas composições podem demorar mais de 400 anos para se decompor em condições naturais.

Contudo, é importante destacar que, na maioria das vezes, nossas roupas sem uso acabam sendo destinadas a aterros ou lixões;

– Assim, durante a manutenção dessas peças, como no processo de lavagem por exemplo, acontece a liberação de microplásticos [micro partículas plásticas que quase não conseguimos ver ou filtrar]. Estas são responsáveis por poluir nossos mares e intoxicar peixes e outros animais.

Vale lembrar que, segundo diversas pesquisas, possivelmente já estamos consumindo tais resíduos a partir da ingestão de água e alimentos;

– Além de nocivas para o meio ambiente, ao longo de sua produção e manutenção. Fibras sintéticas também representam uma grande desvantagem no momento de seu uso, especialmente no verão.

Por isso, roupas feitas em poliéster acabam retendo o calor junto ao nosso corpo, diminuindo nossa possibilidade de transpiração e ocasionando sensações de desconforto ou mau cheiro;

-Tais peças, em contato direto e prolongado com a pele, costumam estar relacionadas ao desencadeamento de alergias e/ou outros problemas dermatológicos;

Por fim, até podemos entender que uma roupa feita em poliéster pode sim ter um design bem construído e atrativo e parecer fresca ou confortável num primeiro momento, mas nem sempre é, especialmente em períodos de calor.

Nunca mais poderemos utilizar uma peça em poliéster?


Calma, um passo de cada vez! [emoji de carinho ou atenção].

Assim como outros materiais, o poliéster também tem a sua função ou aplicabilidade.

Em produtos de inverno, por exemplo, ele costuma atender às suas especificidades. Mantendo nosso corpo mais aquecido e, em alguns casos, até mesmo mais seguro quanto à redução de temperatura.

Casacos e outros artigos podem compor seu guarda-roupa. Sendo importante lembrar que esses produtos devem ser cuidados de forma mais cautelosa. Crescendo o máximo que for possível os intervalos entre as lavagens, por exemplo.

Para te ajudar, indicamos a utilização de materiais de limpeza biodegradáveis e, até mesmo, um desodorante natural para roupas (mantendo as peças sempre em ordem e higienizadas).

Desodorante de roupas:

Receita:
100 ml de água + 100 ml de álcool 70; 50 ml de vinagre de álcool.

Preparo:
Coloque os ingredientes citados num pulverizador e aplique nas roupas pelo avesso. Depois, é só deixar arejar.

Atenção às etiquetas de composição:

Diante de todos esses apontamentos, percebemos a importância de verificarmos sempre que necessário a etiqueta de composição do que adquirimos.

Além de olharmos somente para o design desse ou daquele produto.

Da mesma forma com que já fazemos (ou deveríamos começar) com a leitura dos rótulos dos alimentos que consumimos.

Somente assim, conseguiremos entender com maior clareza o real valor do que estamos comprando e compreender a diferença de preço e investimento entre um tipo de produto ou outro.

Isso também faz parte de uma jornada para um consumo mais consciente!

E é por saber que a redução do uso de poliéster em nossas peças faz grande diferença, que estamos tão felizes em conseguir retirá-lo totalmente dos nossos lançamentos previstos para o verão.

A MyBasic não tem mais produtos em poliéster?


Na verdade, conseguimos reduzir significativamente o número de peças produzidas em poliéster disponíveis em nosso estoque.

E lançar uma coleção inteira, somente com fibras de menor impacto e totalmente alinhadas às nossas metas de sustentabilidade.

Só faz destacar que, apesar dos diversos desafios que temos pela frente [e sabemos que ainda são muitos].

ASSUMIMOS A RESPONSABILIDADE DE QUE PODEMOS SIM SER AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO.

E você é nossa maior inspiração.

Ufa, foi um textão.

Mas é muito importante entendermos ainda mais a respeito da nossa relação de consumo.

Percebendo que, tudo o que compramos, usamos e descartamos em algum momento da vida quando já não utilizamos mais, permanece em algum lugar desse planeta. Desencadeando diversos problemas socioambientais e um profundo desequilíbrio ao meio ambiente. Impactando diretamente a vida de milhares de pessoas, das formas mais injustas e desiguais possíveis.

O que significam as certificações dos produtos MyBasic?

Você já reparou que quando escolhe um produto MyBasic ele vem acompanhado de alguma sinalização quanto às nossas certificações?

Essas pequenas tags [as certificações] indicam que fazemos parte de uma história de transformação. Por processos, escolhas e desenvolvimentos mais responsáveis.

A cada certificação, você poderá saber mais quanto à maneira com que nossas matérias-primas são produzidas ou nossas peças são confeccionadas. E assim ter mais segurança quanto às suas escolhas.

Caso você tenha alguma dúvida quanto à elas, é só perguntar pra gente, tá?

Acreditamos numa moda que promova mudança. Estamos, a cada dia, melhorando nossos processos. Para assim promover o cenário que desejamos.

Vista o bem de se vestir com consciência.

Você pode fazer parte desse ciclo positivo de transformação.

fontes: Atlas do Plástico | Bibliografia: Moda e Sustentabilidade: Kate Fletcher e Lynda Grose | Fundação Ellen MacArthur | Apostila SEBRAE | Apostila Oficina de Tecidos de Ana Scalea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *